UFSCar Sorocaba promove eventos que marcam os 50 anos do golpe

A programação tem início no próximo dia 17 com a exibição do documentário "Porque Lutamos", que conta a trajetória do estudante Alexandre Vannucchi Leme
Terça-feira, 11 de Março de 2014 - Última alteração em 11/03/2014 às 00:00
fonte:  Imprensa SMetal
UFSCar Sorocaba promove eventos que marcam os 50 anos do golpe
UFSCar Sorocaba promove eventos que marcam os 50 anos do golpe
Ampliar
UFSCar Sorocaba promove eventos que marcam os 50 anos do golpe
UFSCar Sorocaba promove eventos que marcam os 50 anos do golpe

"Os povos que não podem ou não querem confrontar-se com seu passado histórico estão fadados a repeti-lo". Essa frase de Dom Paulo Evaristo Arns representa bem a luta pela verdade, memória e justiça daqueles que caminham contra o esquecimento das lutas travadas entre o golpe de 1964 e o fim da ditadura civil e militar em 1985.

Pela necessidade de se contar e lembrar a história a partir de quem a viveu a UFSCar Sorocaba promove o Ciclo de Atividades '50 anos do Golpe Civil-Militar no Brasil', uma realização do Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE) do Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), campus de Sorocaba.

Atividades

No dia 17 de março - data em que se completam 41 anos da morte do estudante sorocabano Alexandre Vannucchi Leme - o Cineclube Sinergia exibe, às 17h, com mediação da professora Dulce Ferreira, o documentário "Porque Lutamos! Resistência à ditadura militar", com a presença da pesquisadora Fernanda Ikedo, diretora do documentário.

No dia 31 de março, das 19h às 22h, com mediação da professora Kelen Leite, acontece, no auditório Atlab, a mesa de debates "O Golpe: conjuntura e decorrências", com três professores da UFSCar que viveram o Golpe vão relatar suas experiências e análises. São eles: Marly de Almeida Gomes Vianna, Ramón Peña Castro e Wolfgang Leo Maar.

Também no auditório Atlab do campus Sorocaba acontece no dia 1º de abril, a mesa de debates "Memória e Verdade", com professor de filosofia Daniel Lopes, que teve a iniciativa de formar a Comissão Municipal da Verdade e o professor de história Miguel Trujilo, que foi preso e torturado na década de 70. A medição fica por conta da professora Carla Carrochano.

No dia 14 de abril, das 18h às 19h, será promovido o Sarau da Dita: poemas e canções da Ditadura, mediado por Geraldo Tadeu de Souza. O local ainda será definido.

De 22 a 29 de abril, no Atlab, será realizada a Exposição Interativa: a ação da ditadura em Sorocaba e Região, mediada pelo discente Carlos Eduardo Silva.

A UFScar Sorocaba fica na rodo via João Leme Santos, KM 110, no bairro Itinga.

Mais informações

http://50anosdogolpe.blogspot.com.br/p/organizacao.html

 

Comentários

Voltar