Terto parabeniza Cruzeiro do Sul por reportagem sobre Vannucchi

Terça-feira, 19 de Março de 2013 - Última alteração em 19/03/2013 às 00:00
fonte:  Jornal Cruzeiro do Sul
Divulgação
O estudante Alexandre Vannuncchi foi morto há 40 anos pela ditadura militar no Brasil
O estudante Alexandre Vannuncchi foi morto há 40 anos pela ditadura militar no Brasil
Ampliar
O estudante Alexandre Vannuncchi foi morto há 40 anos pela ditadura militar no Brasil
O estudante Alexandre Vannuncchi foi morto há 40 anos pela ditadura militar no Brasil

Artigo do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Ademilson Terto, publicado hoje, 19, parabeniza jornal Cruzeiro do Sul por reportagem publicada domingo a respeito da tortura e morte do sorocabano Alexandre Vannucchi nos porões da ditadura militar. O episódio aconteceu há 40 anos e somente agora a justiça começou a ser feita. Confira o artigo, publicado na seção Do Leitor:

Alexandre Vannucchi - 1

Neste domingo, 17 de março, ao abrir o jornal Cruzeiro do Sul, tive a grata satisfação de ver um veículo da nossa região cumprir a missão mais nobre da comunicação social, formar consciências críticas a respeito da nossa história. Além de realçar o início da correção de uma série de injustiças cometidas contra o sorocabano Alexandre Vannucchi Leme e seus familiares, a reportagem revela que as liberdades democráticas que usufruímos hoje e que às vezes mal valorizamos  não são obras naturais do acaso.

Ao tratar a notícia com o merecido destaque e a necessária seriedade, o jornal fornece ao leitor a oportunidade de perceber que nosso presente é fruto de um processo histórico, construído com garra, coragem e idealismo de muita gente. Afinal, o reconhecimento desses fatos, o constante resgate público desses episódios e a correção de erros e injustiças do passado são indispensáveis para a evolução social que tanto reclamamos.

Ainda que o tema da reportagem seja triste (a tortura e o assassinato pela ditadura militar e a tardia Justiça que se faz ao jovem Vannucchi), é reconfortante ver um jornalismo que trata a tragédia humana e os erros políticos de forma equilibrada, objetivamente em busca da verdade, sem montar o circo midiático que fazem a fama  e constituem o poder obscuro¿ de alguns veículos deturpadores da realidade sociopolítica das cidades, dos estados e do país.

Enquanto as matérias sobre cidadania da maioria dos jornais se limitam a dar dicas sobre direitos do consumidor, a reportagem do Cruzeiro do Sul vai muito além e foca nos direitos primordiais de cidadania, que são a vida, a dignidade, o acesso à informação, a liberdade e o direito de participar da vida política do seu país.

Foi notável também a ousadia do jornal de trocar a costumeira manchete sobre algum fato do dia anterior por uma, no alto da capa, que marcou e marcará a história da sociedade na qual vivemos por muitos e muitos anos.


Enfim, parabéns ao repórter Giuliano Bonamim, ao fotógrafo Luiz Setti, ao editor Anclar Patric Crippa Mendes e todos os demais profissionais envolvidos na produção da reportagem. Ou melhor, além de dar os parabéns, devo agradecer: obrigado por brindar o leitor com um assunto que honra a memória de todos os que lutaram pela redemocratização do Brasil e que contribui para a formação da cidadania dos leitores.


ADEMILSON TERTO DA SILVA - PRESIDENTE DO SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE SOROCABA E REGIÃO

Artigo publicada na edição de 19/03/2013 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 3

Comentários

Voltar