Histórias de sindicalistas perseguidos durante ditadura militar são relembradas

Para advogada sorocabana já é hora de abrir o caminho para empreender a reparação dos danos causados a todos os trabalhadores durante esse período
Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014 - Última alteração em 03/02/2014 às 00:00
fonte:  Imprensa SMetal
Rede Brasil Atual
Encontro no ABC reúne centenas de trabalhadores
Encontro no ABC reúne centenas de trabalhadores
Ampliar
Encontro no ABC reúne centenas de trabalhadores
Encontro no ABC reúne centenas de trabalhadores

Centenas de trabalhadores e sindicalistas foram homenageados, nesse sábado, (1º), durante o ato "Unido, Jamais Vencidos", que lembra os 50 anos do Golpe Civil Militar no Brasil, em São Bernardo do Campo.
O evento teve caráter oficial da Comissão Nacional da Verdade e foi organizado pelo grupo de trabalho Ditadura e Repressão aos Trabalhadores e ao Movimento Sindical da Comissão Nacional da Verdade (CNV), formado por dez centrais sindicais.
A advogada sorocabana e assessora da secretaria de políticas sociais da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Maristela Monteiro, acompanha os trabalhos da CNV e participou do evento. Ela, que sempre atuou na área de Direitos Humanos, comenta que esses atos estão sendo preparados por todo o Brasil, como no Rio de Janeiro, Sergipe e Bahia.
Nesse momentos, além de relembrar as histórias dos trabalhadores são colhidos depoimentos que passam a integrar a lista de testemunhos da comissão, que apura as violações de direitos ocorridas durante o período 1964-1985.
Para Maristela, "as listas negras, a ajuda financeira e logística aos assassinos e torturadores do exército e da polícia política, as participações em torturas e massacres são fatos de nossa história que todos já sabemos. O que nos falta agora e abrir o caminho para dar os nomes aos bois e empreender a reparação destes danos causados a todos os trabalhadores. As centrais e a CNV estão no caminho correto". Ela parabeniza as entidades pelo ato que reuniu as lideranças e os trabalhadores da época e que confirma este compromisso de reparação.

Comentários

Voltar