Golpe é relembrado em debate no Sindicato na segunda-feira, 31

Período do Brasil amordaçado será contado por personagens que viveram a história e especialistas que a pesquisaram
Sábado, 29 de Março de 2014 - Última alteração em 29/03/2014 às 00:00
fonte:  Imprensa SMetal
Divulgação
Palestras e debates dia 31 começam às 19h, no auditório do SMetal Sorocaba
Palestras e debates dia 31 começam às 19h, no auditório do SMetal Sorocaba
Ampliar
Palestras e debates dia 31 começam às 19h, no auditório do SMetal Sorocaba
Palestras e debates dia 31 começam às 19h, no auditório do SMetal Sorocaba

Para evitar que se repita o cenário de censura, perseguições, torturas e assassinatos que duraram 21 anos no Brasil (1964-1985) durante o ciclo dos militares no poder, diversas entidades da sociedade civil e instituições de ensino estão promovendo debates sobre os 50 anos do golpe.

Com o intuito de contribuir com as reflexões sobre as consequências da ditadura que teve forte apoio de uma elite civil e empresarial, o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) junto com o grupo Café e Educação realizam na segunda-feira, dia 31, a partir das 19h, o evento: "1964: 50 anos se passaram mas suas marcas permanecem".


Programação
"Qual era a deles, milicos ou fantoches?" e "O Brasil antes do golpe e a conjuntura sociopolítica na América Latina", com o professor de história econômica Adalberto Coutinho;

"Pensar é Crime? O golpe e suas violações"; "Carcará e pau de arara não são brinquedos! A visão de quem foi preso", com o professor de história Miguel Trujillo, que foi preso político;

"A violação dos direitos e a conquista da redemocratização", com o ex-ferroviário Chico Gomes, que participou da Ação Libertadora Nacional (ALN);

Mediação da jornalista Fernanda Ikedo, autora do documentário "Por que lutamos! Resistência à ditadura militar".


Serviço

A atividade começa às 19h, no Sindicato, rua Júlio Hanser, 140, Lageado, é gratuita e aberta ao público.

 

Comentários

Voltar