Comissão da Verdade vai ouvir três pessoas na segunda-feira, dia 18

Quinta-feira, 14 de Agosto de 2014 - Última alteração em 14/08/2014 às 00:00
fonte:  Imprensa SMetal
Foguinho/Imprensa SMetal
A comissão é presidida pelo vereador Izídio de Brito
A comissão é presidida pelo vereador Izídio de Brito
Ampliar
A comissão é presidida pelo vereador Izídio de Brito
A comissão é presidida pelo vereador Izídio de Brito

A Comissão Municipal da Verdade "Alexandre Vannucchi Leme" realiza mais oitiva de depoimentos na segunda-feira, dia 18, às 9h, no plenário da Câmara de Sorocaba.

Irão depor na oportunidade: Elisa Gomes, funcionária pública da rede estadual, participou do PCB e do MDB em Sorocaba; Oswaldinho Duarte, o mais jovem vereador da história de Sorocaba, eleito pelo MDB, que participou da luta pela redemocratização do País; Pedro Cadina, jornalista que participou da "Noite do beijo", do jornal "Sorocaba Urgente" e foi perseguido, não conseguindo mais seguir sua carreira profissional em Sorocaba.

Todas as oitivas são abertas ao público interessado e transmitidas ao vivo pela TV Legislativa (Canal 6 da NET) e site da Câmara Municipal (www.camarasorocaba.sp.gov.br).

Comissão

A Comissão da Verdade de Sorocaba é composta pelos vereadores Izídio de Brito (PT) como presidente, Anselmo Rolim Neto (PP) como relator, e os membros Saulo do Afro Arts (PRP) e Neusa Maldonado (PSDB).

A agenda de trabalho da CMV é desenvolvida conforme a disponibilidade de cada personagem. Na ocasião colhem-se depoimentos na Câmara, que são gravados, arquivados e comporão o relatório final, que será enviado à Comissão Nacional da Verdade ainda este ano.

Os resultados também estarão disponíveis para instituições interessadas na história da região durante o regime militar.

Oitivas

A primeira oitiva, que foi realizada em 26 de maio, contou com a presença do professor Aldo Vannucchi, tio de Alexandre Vannucchi Leme; do ex-militante Osvaldo Noce; e do ex-líder sindical Francisco Gomes, o Chico Gomes.

A segunda, que ocorreu em 2 de junho, ouviu depoimentos do jornalista e historiador Geraldo Bonadio e do professor de história Miguel Trujillo.

A terceira oitiva foi composta pelo professor da Universidade de Sorocaba (Uniso) e jornalista, Julio Cesar Gonçalves; do advogado Geremias de Camargo; e do narrador esportivo Antonio Antonelli.

O quarto depoimento aconteceu em 14 de julho e contou com a presença do deputado estadual Adriano Diogo, presidente da Comissão Estadual da Verdade; Armando Oliveira Lima, filósofo, ativista cultural e presidente do Gabinete de Leitura de Sorocaba, durante o regime militar; e Roberto Gil Camargo, diretor teatral, professor e sofreu censura em suas peças.

A quinta oitiva ouviu, em 4 de agosto, Theodoro Mendes, ex-prefeito municipal pelo MDB; Wadad Nerhj Farah, a Odete, comerciante sorocabana; Plácido Mazon Filho, filho de Plácido Mazon - sindicalista (construção civil); e Renato Dias Batista, jornalista.

O sexto depoimento aconteceu em 11 de agosto e contou como depoentes o presidente da OAB Sorocaba, Alexandre Ogusuku, filho de perseguido pela ditadura; o ator Carlos Batistella; e o jornalista e ator e atual secretário de comunicação da Câmara de Sorocaba, Davi Deamatis.

Comentários

Voltar